Quando propósitos transformam realidades

DCIM102GOPRO
 

Reflexão #5

Nós, os sonhadores

29/dez./2014
por   Gabi

Há alguns dias recebi um email muito especial de uma amiga que é uma das maiores e mais queridas incentivadoras e divulgadoras do Think Twice Brasil.

No longooo email que ela enviou a mim e ao Fe tinham algumas várias palavras de amor, elogios generosos e um desabafo muito especial. Ela nos contou sobre como estão as coisas no Brasil. As conquistas, as angústias e as descobertas. E terminou dizendo que por tudo que ela tem vivido, foi possível concluir que para se tornar uma pessoa melhor e ajudar ao próximo não é necessário vir pra África. Pode começar em casa mesmo.

Essa é uma verdade absoluta e ainda assim talvez eu não tenha dado a atenção merecida a esse tema desde que a viagem começou.

Largar o emprego, sair de casa e viajar o mundo não é certeza de encontrar as respostas que a gente procura. Pelo contrário… Você pode voltar com ainda mais perguntas.

Quando escolhi seguir por esse caminho é porque já tinha uma boa parte das minhas questões solucionadas e embarcar no Think Twice Brasil seria apenas mais uma etapa do meu processo de evolução pessoal e profissional.

Eu queria aprimorar meu inglês e ter uma experiência vivendo em outro país, sem os carinhos da casa da mamãe e com todos os desafios de sair da zona de conforto. Além disso, eu sentia que para fazer a transição de carreira que eu desejava – de advogada pra empreendedora social – eu precisaria de mais conceitos práticos do que teóricos. Eu ainda tive a sorte de compartilhar com o Fe esses mesmos objetivos, o que tornou tudo mais simples e possível.

Por todos esses motivos, viajar para países com altos índices de pobreza e desigualdade foi a escolha mais certa pra mim. Mas talvez não seja pra você.

Inclusive, como já contei antes em um dos posts, um dos comentários que mais ouvi quando falava sobre a ideia do Think Twice era “se quer ajudar aos pobres vai pro nordeste! Não precisa ir pra África.”  E ai quase nunca tinham paciência pra ouvir todos os pontos da minha explicação.

De qualquer forma, essas pessoas têm um ponto muito válido que eu carinhosamente interpretei da seguinte maneira: “Gabi, não precisa ir tão longe pra encontrar quem precise de ajuda.”

E eu devo confessar que concordo 100% com elas. Não precisa mesmo. Outro dia li uma frase que me fez rir muito e dizia “quer mudar o mundo, mas não ajuda nem a mãe a lavar a louça.” Mãe, foi você que escreveu ?? (Brincs! Eu ajudava sim hehe)

Esse foi um jeito divertido de falar sobre quem acha que mudar o mundo tem que ser algo grandioso! Como criar uma ONG, doar toda a sua poupança pras crianças carentes ou pedir demissão e viajar em busca de inspiração.

Se você é desse time, lamento te dizer que não é bem assim. A gente também muda o mundo com pequenos gestos. Devagarinho. Começando por ajudar a mãe com a louça hehe

E ai não tem a desculpa do tempo, do dinheiro, dos problemas e tudo o mais que pode te impedir de ser um milagrinho na vida de alguém. Escrevendo esse texto me lembrei do primeiro post que publiquei no Think Twice em 31.01.13. Quando o Think Twice ainda era um blog, eu ainda era advogada e os únicos dez seguidores eram quase todos da família hehe.

Nesse post inaugural eu nem imaginava o que viria pela frente, mas já defendia o poder das sutilezas, das gentilezas e da generosidade. Desde lá eu sabia que essa era a fórmula perfeita pra resolver, ou pelo menos suavizar, várias das questões que nos trazem angústia, ansiedade e infelicidade.

Acontece que eu escolhi mudar o mundo direcionando minhas energias e meu trabalho para melhorar a vida de quem não teve muitas oportunidades e acabei esquecendo de reforçar que esse é apenas um dos caminhos pra quem sonha com um mundo melhor como eu.

E são essas pessoas que, independentemente do caminho escolhido, eu chamo de sonhadores.

Nós, os sonhadores, compartilhamos um denominador comum: temos todos um coração inquieto.

É comum que a gente não descubra com facilidade de onde vem essa inquietação e do que é preciso para se livrar dela. E talvez, seja justamente isso que nos move. Nessa hora entram as terapias, o colo da mãe, o ombro das amigas, a cartomante, o mapa astral, o suco de maracujá e o desejo secreto de simplesmente passar um tempo viajando.

Engraçado como a gente associa a viagem a algo mágico. Quando eu era mais nova e vivia aquela fase do “tudo na minha vida dá errado”, devo ter pensado cerca de 23 vezes em fazer um intercâmbio em outro país. Acho que na minha cabeça, se eu ficasse um tempo longe de casa as coisas que me incomodavam teriam se resolvido sozinhas quando eu estivesse de volta. Eu também pensava muito em como seria minha festa de despedia, eu juro… Uma prova de que talvez eu me importasse mais em me sentir querida e amada do que fazer a malinha pra morar fora. :)

Enfim, os sonhadores vivem muitas crises e a principal delas é a que nos faz olhar pro nosso “fundo do mar“, realizar que somos responsáveis por nossas escolhas e que recebemos do universo somente aquilo que oferecemos a ele. Por isso, cuidado!! Mesmo assim, depois que essas crises passam o resultado é sempre acalentador e multiplicador. Isso porque nós, os sonhadores, temos uma pré disposição quase sempre desconhecida de despertar novos corações para se juntarem ao time.

Dreamer post

Nós, os sonhadores, procuramos não julgar e focamos em soluções ao invés de problemas. Ouvimos com atenção e olhamos nos olhos. Preocupamo-nos com as sutilezas e tentamos ser generosos, acolhedores, humildes e questionadores. Praticamos a empatia e, quando dá, nos colocamos nos sapatos do outro. Quase sempre somos indecisos, afinal tem tanta coisa pra sonhar que fica difícil decidir o foco. Nós abraçamos apertado e acreditamos na força dos pensamentos. E das palavras. Nós buscamos ser gratos, inconformados e esperançosos. Nós acreditamos que tudo se resolve com amor e muita mão na massa.

E o mais engraçado: quase nunca sabemos que somos sonhadores. Inclusive, você pode ter acabado de descobrir. Isso porque a gente se reconhece, mas não se classifica. Ai está mais uma das nossas esquisitices…

Pra se reconhecer nesse time basta se identificar com pelo menos uma das características ou simplesmente simpatizar com elas. O resto é por conta das boas energias. :)

Mas tudo isso foi pra dizer que estamos espalhados por ai. Pelo Brasil, pela África, pela Ásia, pelo mundo. Somos tipo uma sociedade secreta. Tão secreta que nem os membros sabem que fazem parte dela!

Juntos formamos um formigueiro de sonhadores, onde cada um usa seu talento, sua indignação, seu ombro amigo e sua paixão para dar luz ao que está perdido no caminho, começando por nós mesmos. E a gente faz isso o tempo todo. Com um elogio a um desconhecido, um email carinhoso no meio do dia, uma ligação pra amiga sumida ou um bilhete apaixonado na geladeira. Pra quem já está no nível avançado, vale doar seu tempo, seu dinheiro ou os dois em prol de causas transformadoras. Vale também prestar mais atenção em você, em quem você ama e amar sem impor condições. Distribuir surpresas, gentilezas e abraços apertados. Vale simplesmente ser o milagrinho da vida de alguém, ainda que seja só por uns minutos.

Dito isso, acho que ficou claro que não precisa atravessar o oceano pra mudar o mundo, né? Nós, os sonhadores, sabemos que juntos podemos ir longe. Cada um mudando o seu mundo, um pouquinho do dos outros e inspirando mais gente a sonhar junto.

Por tudo isso, nesse novo ano eu só desejo que você se redescubra um sonhador.

E bem vindo ao nosso formigueiro. :)

Shares
Gabi
Think Twice Brasil

    11 Comentários:

  1. Luciana disse:

    Fico encantada com os seus textos, estou lendo todos e cada leitura sou surpreendida. Fico muito feliz em saber que você pensa assim e escreve para que outras pessoas sejam conquistadas por este mesmo espirito.

  2. Renata Piazzon disse:

    E cá estou euzinha, voltando de viagem atrasada para ler as reflexões e posts e ENCANTADA com esse!!!! Eu estou que nem uma criança ansiosa para ler o próximo antes do último acabar, sabe? Gabi, um dos textos mais lindos que já li! AMO fazer parte desse formigueiro!

  3. Nanci disse:

    Gabi, quero poder fazer parte desse formigueiro. A maneira como voces colocam as experiencias so faz despertar em todos, a vontade de seguir o caminho do bem.
    Feliz 2015! Feliz empreitada!

  4. Leandro Yagome disse:

    Quem começa não para mais, ao invés de desculpa pra falta de tempo, é desculpa pra sempre encaixar um tempinho a mais num projeto novo. Ou mesmo ações pontuais: doar sangue, cadastrar a doação de medula, inspirar um amigo.

    Gabi e Fe, um ótimo ano novo, com muitos sonhos, planos e realizações.
    Que consigam superar a expectativas e crescer ainda mais em 2015. Saúde e sucesso!

    Grande abraço e até o ano que vem,

  5. Grazielle disse:

    Me identifiquei com cada palavra do seu texto, impressionante, parecia até que alguém estava me descrevendo rs. Meu coração também é bem inquieto, e sempre quer algo mais, nunca está satisfeito. Acho que a razão é essa, somos sonhadores, mas ao mesmo tempo temos que ter os pés no chão pra não tomar decisões erradas. E isso é difícil, porque para nós o mundo é o nosso lugar, seja viajando, seja ajudando pessoas, seja conhecendo culturas diferentes, etc, e permanecer em qualquer rotina nos frusta. Enfim, ao casal, desejo toda sorte do mundo a vcs e ao projeto que desenvolvem, é realmente admirável. Gabi, espero um dia ter a coragem que vc teve para deixar de lado a advocacia (também sou advogada rs) e cair no mundo definitivamente (já fiz algumas curtas viagens, mas sempre tenho que retornar rs). Um beijão e parabéns pelo site!

  6. Daniel Pinto disse:

    adorei o texto, adoro essa forma de estar. Pena haver tão pouca gente assim.

    • Gabi disse:

      Daniel, Bem vindo !!! Que alegria :) Na minha opinião, a gente sempre tem que acreditar que “a beleza está nos olhos de quem vê”!! Se a gente focar em enxergar só o belo, vc vai ver o tantãoooo de gente boa que vc vai conhecer !!! Um beijo enorme e um ano novo iluminadoooo pra vc !!! Gabi

  7. Kleber Borges de Moura disse:

    Gabi,
    Parabéns a vocês dois. Grato por existirem.
    Um beijo!
    Kleber

    • Gabi disse:

      Obrigadíssima você, Kleber, por viajar no mesmo barco que a gente !!! Venha sempre ! Um beijo e um ano novo de luz pra vc !!! Gabi

  8. Fábio Melo disse:

    Querida Gabi,

    pessoas como vocês tornam-se agente de mudanças. Tenho cada vez mais refletido sobre tudo, todos e a minha própria vida. Quando leio um novo post aquele sentimento de lutar por um mundo bem melhor volta e me faz repensar sobre o que faço por isso. Concordo que a desculpa do “não tenho tempo” sempre atrapalha e não passa de uma fuga.
    O que vocês fazem me desperta uma admiração, carinho e um despertar que não pode dormir jamais, principalmente por saber de quem vem essa inspiração.
    Espero que os posts toquem cada vez mais pessoas e que elas, assim como eu, reflitam e tomem ações!

    Obrigado pelo que fazem.
    Amo vocês!
    bjos com muito amor.

  9. Lory disse:

    Lindo texto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares